quarta-feira, 5 de maio de 2010

'BOI ZEBÚ E AS FORMIGAS'


"Um boi zebu certa vez
Moiadinho de suó,
Querem saber o que ele fez
Temendo o calor do só
Entendeu de demorá
E uns minuto cuchilá
Na sombra de um juazêro
Que havia dentro da mata
E firmou as quatro pata
Em riba de um formiguêro.

Já se sabe que a formiga
Cumpre a sua obrigação,
Uma com outra não briga
Veve em perfeita união
Paciente trabaiando
Suas foia carregando
Um grande inzempro revela
Naquele seu vai e vem
E não mexe com mais ninguém
Se ninguém mexe com ela.

Por isso com a chegada
Daquele grande animá
Todas ficaro zangada,
Começou a se açanhá
E foro se reunindo
Nas pernas do boi subindo,
Constantemente a subi,
Mas tão devagá andava
Que no começo não dava
Pra de nada senti.

Mas porém como a formiga
Em todo canto se soca,
Dos casco até a barriga
Começou a frivioca
E no corpo se espaiado
O zebu foi se zangando
E os cascos no chão batia
Ma porém não miorava,
Quanto mais coice ele dava
Mais formiga aparecia.

Com essa formigaria
Tudo picando sem dó,
O lombo do boi ardia
Mais do que na luz do só
E ele zangado as patada,
Mais força incorporava,
O zebu não tava bem,
Quando ele matava cem,
Chegava mais de quinhenta.

Com a feição de guerrêra
Uma formiga animada
Gritou para as companhêra:
Vamo minhas camarada
Acaba com os capricho
Deste ignorante bicho
Com a nossa força comum
Defendendo o formiguêro
Nós somos muitos miêro
E este zebu é só um.

Tanta formiga chegou
Que a terra ali ficou cheia
Formiga de toda cô
Preta, amarela e vermêa
No boi zebu se espaiando
Cutucando e pinicando
Aqui e ali tinha um moio
E ele com grande fadiga
Pruquê já tinha formiga
Até por dentro dos óio.

Com o lombo todo ardendo
Daquele grande aperreio
zebu saiu correndo
Fungando e berrando feio
E as formiga inocente
Mostraro pra toda gente
Esta lição de morá
Contra a farta de respeito
Cada um tem seu direito
Até nas leis da natura.

As formiga a defendê
Sua casa, o formiguêro,
Botando o boi pra corrê
Da sombra do juazêro,
Mostraro nessa lição
Quanto pode a união;

Neste meu poema novo
O boi zebu qué dizê
Que é os mandão do podê,
E as formiga é o povo."

Patativa do Assaré, do livro 'Ispinho e Fulô' . 

O poema fora musicado pela Banda Mastruz com Leite, com a participação do próprio Assaré, conheçam!

Outras palavras...

Saudações poéticas! Estou complementando o post de hoje para informar que esse mês o homenageado das 'quartas da poesia'  será o poeta nordestino Patativa do Assaré!

Acredito que nem todos conheçam essa  reconhecida  figura, que já foi considerado o maior poeta popular do Brasil, certo? Patativa, que na realidade se chamava Antônio Gonçalves da Silva,  ao longo de mais de 90 anos de vida, escreveu  cordéis, poemas e publicou livros, mesmo  com  uma deficiência  em um dos olhos e frequentado uma escola apenas seis meses de sua vida! Dizia que para ser poeta não era preciso ser professor: 'Basta, no mês de maio, recolher um poema em cada flor brotada nas árvores do seu sertão'. Eis a sua receita para produzir suas pérolas!

É um pouco dessa história comovente que eu gostaria de dividir com todos daqui pra frente, garanto que não vão se arrepender em me acompanhar, afinal, conhecer e valorizar nossos Mestres é um dever coletivo das almas sensíveis!

Salve a cultura popular e todas as manifestações de arte do mundo!
Abraço de quarta.
Jr Vilanova. 

11 comentários:

Sandro Omena disse...

Junior
Bom dia! Imagine você meu querido que mesmo pegando na enxada desde menino este grande poeta popular Antônio Gonçalves da Silva, o nosso Patativa do Assaré, soube como ninguém expressar em versos a vida cotidiana do sertanejo. Parece curioso para alguns, porém fantástico para outros quando o mesmo coloca que para ser poeta não é ncessário ser professor. Bravo! Com poucos meses de sala de aula fica comprovado a sua genialidade para a arte popular. Li em algum lugar que o Papativa do Assaré foi comparado com as rimas do Gabriel o Pensador, que falam das diferenças sociais brasileiras.
Parabéns júnior ao lembrar desse cara, de fato, é de tirar o chapeu.

Abraço

Chica disse...

Maravilha de poema de Patativa! Linda homenagem!Grande manifestação da cultura!abração,chica

carol sakurá disse...

Querido Junior!
Tem selo Dardos para seu blog no Poete.
Bj!

lis disse...

Veja isso :
" recolher um poema em cada flor brotada nas árvores do meu sertão" .
lindo, sensível, só poesia , Júnior.
Muito bem escolhido, fico comovida , os seus versos tem a melodia do canto dessa ave - a patativa .
Estive em Arapiraca e sentava numa praça pra ouvir os cordeis acompanhados de viola, esquecia o dia ali, rsrs e pra eles não há limite, tudo vira um cordel, é o máximo!
Parabéns, voce sempre muito bom rs
deixo abraços poéticos

Valéria disse...

Junior, vou adorar acompanhar, gosto desse tipo de linguagem.

BeijooO'

CRISTIANE disse...

Júnior,

Sinceramente, fiquei muito eocionada com o texto e muito mais com as características desse poeta sertanejo! Quanta sabedoria demonstrada nas rimas de 'Boi Zebú e as formigas', lindo, lindo, lindo... é isso aí, juntos somos mais fortes!

Estou ansiosa para ler mais... parabéns pela escolha!
Cris.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Divulgar a arte dessa gente tão talentosa e as vezes tão esquecida, é uma das qualidades de alguns blogueiros. O poema é de uma riqueza poética incalculável. Valeu por nos presentear com ele.
Beijão

Anônimo disse...

nossa, muito bom, é de uma poética maravilhosa, essa nossa forma de falar é linda, parabéns pela escolha. Vânia

Renan disse...

Lembremos nas escolas e na vida dos poetas populares, que em verso e prosa escrevem a verdade muitas vezes sofrida e de uma linguagem tão simples que duvido muito que alguns acadêmicos tenham tanto alcance quanto o nosso Patativa do Assaré.

Felicidade.

Céu Vieira disse...

Olá amigo Jr., bom diiiiia!!!
Gostei tanto deste poema! Muito interessante a comparação entre as formiguinhas com o povo e os poderosos com o "boi"! Concordo plenamente com esse poeta brasileiro que desconhecia, mas fico a conhecer com gosto! É bom que pensemos nisso, ele tem razão: "A união faz a força"!
Obrigada pela sua visita e comentário simpático lá no meu blog.
Um beijinho e desejo um bom final de semana p´ra você.

Chá das Cinco disse...

"Neste meu poema novo
O boi zebu qué dizê
Que é os mandão do podê,
E as formiga é o povo."

(MA-RA-VI-LHO-SO!!!)

O que me deixa furiosa é saber que estamos nas mãos de políticos que nunca derão valor a cultura do nosso país!
Mete medo saber que vamos embora desta terra sem ter tido alguém que comande o Brasil como ele merece.
A nós menoria brasileira que tem sede de cultura, resta-nos receber com carinho blogueiros como você meu querido.
Parabéns pelo blog!
Gemária Sampaio

Postar um comentário

Algumas dicas para comentaristas:

1. Use sempre o login da sua conta/ e-mail do Google ou Yahoo. Para os que não as tem, opinhem usando "Nome / URL"! É só digitar seu nome, assim todos saberão quem escreveu (inclusive eu!)

2.Se você possui um blog seu comentário será uma ferramenta de divulgação, pois representa o seu cartão de visita para os que não lhe conhecem. Pense nisso.

3.O espaço aqui é bem democrático, fique a vontade pra falar o que pensa e obrigado pela visita!

 

Copyright © - Contatos Imediatos - Todos os direitos reservados.
Template Minima de Douglas Bowman - Design por Linketal.com