quinta-feira, 29 de abril de 2010

'VIOLÊNCIA É PIRRAÇA'


Aqui, tristeza é pirraça pra brincar!

A violência é  um assunto recorrente no mundo atual, um dos mais discutidos e preocupantes do novo século! Se formos  direcionar o olhar  para o nosso  sofrido Brasil então, as proporções dessa argumentação superam qualquer previsão. A situação chegou a tal ponto que já estamos exportando a nossa  violência, sabiam disso?! Aos olhos do mundo,  a nossa guerra civil  virou  brincadeira de criança!


Semana passada tomei conhecimento da existência de um  game alemão  batizado aqui  de "Favelado Game" , onde, vejam só, atualmente mais 3 milhões de crianças (em seis países além do Brasil)  e adolescentes assumem a postura de um "favelado" carioca que precisa invadir o estádio do Maracanã para melhorar de vida e  para isso, pedem esmolas, assaltam motoristas, promovem brigas entre animais, roubam igrejas, criam facções, matam policiais, juntam-se a outras gangues etc... o slongan da propaganda do jogo é a seguinte: "Torne-se um favelado! Grátis e sem riscos!" e no layout da página, a imagem do Cristo Redentor. Ou seja, uma prova inconteste da banalização em massa da violência que nos cerca  e aí eu pergunto: será que nós já entregamos os pontos?! 
  

Se bem que, por outro lado,  não é de hoje que o mercado incentiva  esse comportamento, digamos, "violento",  em nossas crianças. Basta  refletirmos um pouco, geralmente quando precisamos presentear uma criança do sexo feminino, qual o principal brinquedo escolhido? 99,9% responderá que uma boneca, sim? Mas se for para um menino? Normalmente optaremos por uma arma de brinquedo (mesmo que inofensivamente lance apenas água), um soltado que travará grandes batalhas e matará adversários, um tanque de guerra ou coisa que o valha! Até porque são essas as opções  que a  indústria  do lúdico nos oferece.  O que acontece é que atualmente a criançada só está substituindo o objeto inanimado por uma brincadeira mais "emocionante", trocando por mais adrenalina.    

Encontrei um trecho do jogo no youtube, com o nome: "Favela Game".

Devemos analisar... o combate a violência e a semente para uma realidade mais decente não deveria começar a ser plantada em casa? Você que possui filhos, sobrinhos, afilhados, que gostam de games, já parou para analisar qual o tipo de jogo preferido? Matar, roupar, torturar, virou uma brincadeira tida normal entre crianças em formação... só nesse game que citei  são mais de 3.000 adolescentes brincando de ser bandido! Ficamos num eterno aguardo providências provenientes das autoridades, das políticas públicas, das leis  e  eventualmente esquecemos que estar atento ao que acontece ao nosso redor, além de um importante aliado contra banalização do crime é uma obrigação de todos... não custa pensarmos mais sobre o tema! Educadores possuem uma responsabilidade pra lá de imensa nisso tudo! 

Considero o "Favelado Game" e jogos que incitam a violência o cúmulo do absurdo... uma brincadeira muito perigosa, inclusive por isso, trouxe o assunto para "quinta do caos"! 

É ou não é um assunto para o caos? Opinem!
Jr Vilanova.

Outras fontes da notícia:


10 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Jr
Nós não entregamos os pontos, foram as autoridades que nos esqueceram, afinal, elas têm coisas muito mais importantes para resolverem como: manter-se no poder,gastar com propagando enganosa, comprar aliados, etc, dessa forma não sobra dinheiro para segurança, nem projetos sociais que vão além das porcas bolsas que são dadas. Dessa forma o país vai se tornando um dos mais violentos do mundo.
Bjux

CRISTIANE disse...

Júnior,

Primeiro: parabéns pelo texto! Parabéns pela iniciativa! Parabéns por não deixar assuntos como esse passarem batido!

Confesso que fiquei pasma com o que li! Onde vamos parar? O que estamos fazendo com as nossas crianças? Onde estamos que não observamso coisas como essas? Se existe o jogo absurdo é porque existe também quem joga e enquanto estiver rendendo dinheiro, esse mercado só tende a crescer absurdamente... estamos perdendo o senso, a começar das crianças!

Esse é o meu ponto de vista!
Beijos
Cris.

Chica disse...

Infelizmente, [é por isso e mais um pouco que nossas escolas estão cheias de crianças(?) quase marginais,que atacam professores, colegas e ......blá,blá,.blá...nem vou falar mais pois me sobe o sangue de gringa velha e fico com vontade de...

É um ABSURDO!!!Deveria haver um controle maior, uma mudança também nas cabeças dos adultos pra não permitirem por medo de dizer NÃO ao filhinho...(esse mesmo filhinho depois irá aprontar) bem, chega!Para aqui...abração,chica

carol sakurá disse...

Estou chocada!
Este ano de eleições,não sera a chance de mudar,mas de olhar com mais inteligência e seriedade a fim de evitar consequências que gerem situações como essa.
Beijos!

lis disse...

Júnior
A sua quinta do caos me entriste sempre, mas é importante abrirmos os olhos e ficamos todos agradecidos pela alerta que nos dá hoje com mais essa violencia conra nossos adolescentes.
Algo urgente precisa ser feito , mas quem fará? em casa as famílias precisam ser mais responsáveis e acompanhar de perto como seus filhos se divertem.
Boa postagem , apesar de triste.
Também quero agradecer pela a amizade boa que desevolvemos nesse periodo que nos conhecemos através do blog, amanhã encerro as participações das fotos lindas dos amigos , nesse aniversário e pretendo sempre prestigiar quem comigo divide
seus dias, mesmo que virtualmente.
Obrigada ,Júnior que continuemos por muitos e muitos outro anos aqui.
Te espero pro abraço de sexta e de aniversário

Valéria disse...

Sinceramente, você tem toda razão, se isso não for o caos, leva a ser. Os games são incentivo a violência e são esses tipos de games que fazem mais sucesso entre os jovens. São tão criativos para inventar games de última geração, não poderiam mudar o tema, já que todos reivindicam um mundo melhor, porque não começar por aí?!

BeijooO'

Helga disse...

É sem dúvida um assunto delicado, a que nós pais não devemos ficar indiferentes. Antes de ter filhos eu sempre dizia - nunca vou comprar armas para os meus filhos brincarem, pois há muitas alternativas - e efectivamente durante alguns anos consegui manter a minha palavra, até ao momento em que eles começaram a construir as suas próprias armas de brincar a partir de outros brinquedos e de construções de Lego.

Não podemos mantê-los numa redoma para sempre. Hoje eles jogam todo o tipo de jogo e houve um deles que batalhei arduamente para que não entrasse cá em casa, que é o Grand Theaf Auto, que pela discrição do que mencionas no post, não deve ser muito diferente, pois tem missões estúpidas e podes atropelar e matar quem quiseres, sem que sejas punido por isso. Eles tentam contornar isso e limitar-se a jogar de forma mais correcta possível e eu luto diariamente para que eles entendam a diferença entre um jogo e a realidade, que cada vez está mais imperceptível.

É uma batalha que deveria ser travada em conjunto com a sensibilidade das empresas comercializadoras deste tipo de produto, mas eu vi recentemente uma entrevista com um desses criadores de jogos, em que ele defende que enquanto as crianças estão em casa em frente ao televisor, a fingir que são violentos, não estão nas ruas a ser violentos a sério. Que pensar destas palavras? Devemos ficar tranquilos? Absolutamente não! Mas uma coisa é certa, a não ser ficar de olhos nos nossos dentro da nossa casa, não podemos controlar o mundo lá fora. Um mundo cada vez mais impulsionado e movido pela violência a todos os níveis, mesmo aqueles que nos querem fazer acreditar que são meios pacíficos.

Excelente post. Uma boa reflexão.

Beijinho :)

Dalva disse...

Este assunto causa muita tristeza. A realidade está aí, e quase nada se faz para mudar este quadro. A violência tornou-se coisa tão natural para os pequenos, faz parte do seu dia-a-dia. Banalizou-se. Sabemos que algo precisar ser feito, mas parece que estamos todos meio que paralisados. Teu post é um alerta!

Bjs.

Cláudia disse...

Oww meu amigo, eh uma realidade triste e preocupante essa em que nos encontramos.
A esperança de paz vai ficando mais distante quando a violencia nos atinge diretamente.
O discurso é bem velho...."vamos acabar com isso, vamos mudar aquilo, no meu governo, etc etc etc". As eleições estão aí...
E como nós podemos agir diante de tudo isso?
Estou com o coraçao na mão....angustiada com o que acabei de ler.
Vou passar a freente este post.
Parabéns pela reflexão Junior!
Saudades amigo!
Beijão

Anônimo disse...

Jesucristo te ama.

Postar um comentário

Algumas dicas para comentaristas:

1. Use sempre o login da sua conta/ e-mail do Google ou Yahoo. Para os que não as tem, opinhem usando "Nome / URL"! É só digitar seu nome, assim todos saberão quem escreveu (inclusive eu!)

2.Se você possui um blog seu comentário será uma ferramenta de divulgação, pois representa o seu cartão de visita para os que não lhe conhecem. Pense nisso.

3.O espaço aqui é bem democrático, fique a vontade pra falar o que pensa e obrigado pela visita!

 

Copyright © - Contatos Imediatos - Todos os direitos reservados.
Template Minima de Douglas Bowman - Design por Linketal.com