segunda-feira, 5 de abril de 2010

TODO DIA É SANTO! (Cinema, pão e vinho: primeiras impressões sobre o filme de Chico Xavier!)


Notícias de fim de semana... Queridos, trago novidades!


Semana Santa aqui em casa, como deve ter acontecido na casa de  muita gente nas mais diferentes regiões do país, foi um período dedicado exclusivamente à família e aos laços de afetividade! Visitas, casa cheia, peixe na mesa, vinho na taça, algum chocolate pro coelho não ficar chateado... são as tradições se fortalecendo outra vez! Fizemos tudo direitinho, como manda o figurino. Independente de nossas crenças, vivemos um dia muito especial, pois no fim das contas, quando estamos perto dos que amamos, todo dia se torna um dia santo! 

Parte da família reunida: a que Deus me deu, a que a vida me ajudou a escolher!

Santo desejo...

 
Embora  a sexta-feira da paixão  tenha sido demasiadamente agradável junto aos meus, vez por outra algo vinha forte na minha cabeça: "É hoje a estréia nacional do filme de Chico Xavier" e com isso uma ansiedade imensa me empurrava para a sala de cinema mais próxima! Geminiano tipicamente ansioso, resisti um pouco e resolvi esperar um pouco. Mas foi só o sábado amanhecer que  sacramentei: nem mais um dia! Saí de casa por volta das 15:00 horas disposto a passar um tempão procurando vagas em estacionamento, enfrentar filas imensas, longas horas de espera, enfim,  preparado para o que desse e viesse!

Um dos cartazes oficiais do filme.

Algum tempo depois, quando finalmente chegou minha vez de comprar o ingresso, minha surpresa foi tamanha ao consultar os acentos ainda na bilheteria! Imaginem vocês que dentro da sala só existiam duas únicas cadeiras vagas lado a lado... outras 5 ou 6 estavam espalhadas pelo cinema, contudo, só serviriam para os que tivessem ido ao local sozinhos, o que não era o meu caso! As duas próximas sessões seguiam o mesmo caminho, sinal que mais um campeão de bilheteria está nascendo no cinema nacional. Isso me surpreendeu verdadeiramente, afinal, a Doutrina Espírita ainda é vista com certa desconfiança por muitos, desperta reações bem distintas num país majoritariamente católico com fortes tendências evangélicas, não? Comecei ali a me questionar sobre o tamanho da força e do respeito que essa figura chamada Chico Xavier consegue despertar nas pessoas que se deparam com alguma notícia que envolva sua postura exemplar aqui na Terra... algum motivo estava  atraindo aquele grande número de pessoas e acredito que a fé religiosa não seria o principal! Mais um mistério do médium! Os resultados, quem sabe, veremos depois!

Da esquerda para direita: Ângelo Antônio (Chico Xavier - 1931/1959), o Diretor Daniel Filho, Nelson Xavier ( Chico Xavier -1969/1975) e o pequeno Matheus Costa (Chico Xavier - 1918/1922), no centro.

De frente pro Chico...

Me acomodei na cadeira com um único desejo: o de ser surpreendido verdadeiramente. Desejei não estar diante de mais um filme sensacionalista, de mais uma produção medíocre ou vazia, afinal de contas, se formos reparar direito, o desafio assumido por Daniel Filho com esse filme é imenso! Além de imortalizar no inconsciente coletivo de toda uma nação a imagem de uma figura polêmica, que já passou por inúmeros julgamentos e ainda hoje divide opiniões (apesar do respeito que seu nome normalmente imprime), o de tocar num assunto delicadíssimo e num terreno ainda desconhecido para muitos: a doutrina espírita e a comunicação com os espíritos! Seria preciso muita imparcialidade e responsabilidade para que a tarefa alcançasse êxito, do contrário, estaríamos diante de uma espécia de "Sexto-Sentido" tupiniquim! 

Personagens: Chico e o seu guia espiritual, Emmanuel.

Caracterização e realismo...

Devido a grande quantidade de expectadores (a essas alturas até as cadeirinhas solitárias já estavam tomadas), o início da sessão atrasou em pelo menos 30 minutos. Até que toda aquela eclética multidão se acomodasse, levou tempo! Envolvido por um misto de ansiedade e emoção, já nas primeiras imagens senti um arrepio! O ator Nelson Xavier entra em cena e na telona  quem aparece mesmo  é  o próprio Chico Xavier! Não estou me referindo só a caracterização perfeita, mas  a essência de sua interpretação. Gestos, sorrisos, olhares, comportamentos, tom de voz... a entrega  e identificação com o personagem fica  nítida  durante toda trama  e  como é maravilhoso compartilhar  uma história  onde quem a conta convence, sim?! Primeiro grande motivo para que você não deixe de assistir ao filme são as atuações do elenco de primeira grandeza. 
Ângelo Antônio também foi um que conseguiu um resultado magnífico!  Fisicamente falando, o ator e o médium não possuem absolutamente nada incomum e no entanto, em cena, são praticamente idênticos se imaginarmos como deveria ser a o Chico da juventude, baseados lógico, em sua figura na fase mais madura! Pra mim, o filme merece todos os méritos nesse sentido! Repito, a caracterização é perfeita e desse jeito fica muito mais fácil de dar credibilidade as coisas que acontecem durante toda a trama.


Uma história contada com fé...

Embora  tenha sido  baseado de fato  na biografia "As vidas de Chico Xavier", de Marcel Souto Maior, lançada em 2003, o enredo do filme se dá em torno de uma entrevista dada por Chico  à extinta TV Tupi, em 1971, mais especificamente ao programa "Pinga Fogo", onde uma série de repórteres, personalidades e supostos telespectadores  o sabatinaram por horas (a ele e a Emmanuel, seu inseparável "anjo guardador"), afim de entender melhor os fenômenos protagonizados pelo mesmo e claro, encontrarem supostas contradições em suas afirmações. Religiões, psicografias, reencarnação, comunicação com os espíritos, homossexualidade, aborto etc foram algumas das pautas da noite! 
Nelson Xavier revive esse momento ímpar na história de Chico com um realismo arrepiante! Inclusive, registro a dica, isso pode ser constatado nos créditos finais (não levante da cadeira na hora errada), onde a interpretação do ator pode ser comparada com algumas das imagens originais desse programa. O mesmo possui alguns capítulos no youtube e  eu trouxe um trechinho dele para complementar esse post. 



Muito ainda pra contar...

A partir de tantas perguntas e respostas, o Chico do filme remete-se a sucessivas experiências e situações do passado, relembrando assim parte de sua trajetória, os percalços, sacrifícios, descobertas! Das inseguranças e medos de uma criança órfã até as descobertas de um jovem que possui uma ligação direta com o plano espiritual e precisa provar para todos que não é uma farsa!
Existem alguns momentos confusos, mas é certo que 92 anos de vida, devotamento e filantropia jamais poderiam ser contadas em 60 e poucos  minutos com fielidade absoluta! Acredito que nem o próprio Chico, psicografando ininterruptamente todo esse tempo com a ajuda de seus guias espirituais alcançaria tamanho feito... certamente alguns parágrafos teriam mesmo que ficar de fora! Nesse âmbito, Daniel Filho fez o que pôde e o fez com imparcialidade e  o respeito necessários! Emocionou até involuntariamente, fez rir, delicadamente obrigou a todos naquela sala (e nas outras trezentas e poucas espalhadas pelo Brasil) a refletirem sobre assuntos que não estão acostumadas ou preferem ignorar! 
De  certo mesmo  só uma coisa: o mundo e seus mistérios vão muito mais além que nossas pretensiosas e frágeis convicções, que julgamos ser absolutas! Resumo minhas impressões do filme com uma simples afirmação: Trata-se de uma lição de fé!

Vá ao cinema! Abra o seu coração e ouça a mensagem que diz: vale a pena fazer um novo fim, pois na vida real, nós somos os diretores!

Beijo.

Jr Vilanova.

15 comentários:

Josi disse...

...
Parei várias vezes a leitura para respirar fundo e imaginar cada cena que vc como sempre expressou em palavras lindamente!
Não vou falar do meu lado espiritual,porque isso sempre foi algo muito meu,mas por algumas conversas nossas vc sabe como gosto e cultivo isso em mim,por isso algumas ações mexem com o meu emocional,meu lado "sensitivo" entra em ação e me paralisa ao ponto de fixar naquilo e passar dias e dias pensando,sonhando e vivendo o que vi,o que li,que escutei... é bem profundo isso em mim.
Sentir MUITO isso no filme Invictus, mesmo esperando um pouco mais do filme,senti muito a energia do Nelson Mandela e foi meio complicado em alguns momentos,devo confessar...kkkkkkkkk
Depois veio Lembranças,que também mexeu MUITO comigo.
Agora Chico Xavier que ja to meio emocionada so com que li. Esse foto dele com o Guia... poxa Ju...isso é muito forte,muito mesmo! Vc me entende,sabe do q to falando.
Quero muito assistir,muito mesmo!
BJos

Chica disse...

Que maravilhosa postagem e foi bom ver tua família, ainda que parte apenas, reunida!
Quanto ao filme, pretendo sem dúvida,vê-lo.Linda semana e tudo de bom,chica

Wander Veroni disse...

Oi Jr!

Também vi o filme. Como fã da biografia de Chico, tenho que confessar que o filme me surpreendeu em todos os sentidos. Muito bem feito e um roteiro muito dinâmico e que prende o telespectador do início ao fim. Depois passe lá no Café com Notícias, pois estou fazendo um especial sobre o Chico Xavier durante todo o mês de abril.

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Valéria disse...

Você postou com tanto gosto que aumentou ainda mais minha vontade de ver o filme, gosto muito de prestigiar os filmes nacionais, e sempre saio satisfeita. Boa semana.

BeijooO'

Essência e Palavras disse...

Junior,

que belo texto.

Ah! Preciso ver esse filme, afinal sou mineira, e quero muito assistir essa historia de perto.

Muito bom, gostei de saber um pouco mais e da sua consideraçao em dividir conosco.

Um beeejo boa semana, ta?

CRISTIANE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CRISTIANE disse...

Menino, você tem se saído um excelente crítico de cinema, hein! Caramba, com tanta sinceridade acaba despertando na gente uma vontade imensa de correr pra sala de cinema mais próxima! Ainda mais se o assunto for Chico Xavier, né? Como você mesmo disse, uma figura polêmica e idolatrada ao mesmo tempo!
AMEI, de verdade!
Cris.

Helga disse...

Olá Jr, em primeiro lugar, que família linda! Em relação ao filme, confesso que não conheço muito sobre a biografia em questão (Xico Xavier). Postei um poema dele, que encontrei por acaso num outro blog e que gostei bastante, pela simplicidade e pela verdade das suas palavras. No entanto pesquisei sobre ele e sobre a psicografia e confesso que fiquei impressionada. Fui educada por pais católicos, embora não seja praticante e para mim Deus é um conceito que não consigo expor por palavras.
Procurarei saber um pouco mais sobre os feitos deste homem, que pela tua discrição deste filme e pelo que li sobre ele, foi sem dúvida uma personagem complexa e de bastante interesse.
Obrigada por mo dares a conhecer um pouco melhor.

Beijinhos :)

carol sakurá disse...

Olá,Junior!
Estou de volta!
Belo texto! De fato,celebrar com a família é um presente divino.
Não tenho conhecimento da vida de Chico chavier a não ser pela mídia,mas pelo que sei,o filme ficou um retrato fiel.
Abs!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá meu amigo
Parabéns pela família feliz que você tem.
Quanto ao filme sou suspeito para falar do Chico Xavier, pois além de kardecista, tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, foi uma emoção incomparável. É claro que vou ver o filme, só que aqui em BH as filas estão enormes, vou esperar um pouco.
Beijão

lis disse...

Muito bom seu resumo do filme Junior.
Os atores de fato são excelentes e já é um ponto a favor, li uma reportagem com Nelson Xavier que há tempos as pessoas o confundiam com o médium, e quando soube do filme pediu logo pra representá-lo.Todos os atores foram unânimes em dizer do prazer de participar da obra de Daniel Filho.
Há algumas coincidências interessantes nessa história também.
Gosto muito de biografias escritas e já li bastante sobre esse mineiro que praticou a caridade durante grande parte da sua vida, ver o filme será um complemento, que certamente me agrada.
Obrigada pelo estímulo, aumentando a vontade de ir assistir.
E obrigada também pelas fotos da família ,em dia de Páscoa.
meus abraços

Teresa disse...

Sabe que, até há pouco tempo, eu nunca tinha ouvido o nome de Chico Xavier? Aqui não passam muitos filmes de outro país que não os EUA, infelizmente. Mas vou tentar encontrar, a tua resenha interessou-me bastante.
Bjs
(Obrigada por partilhares essa família linda!)

NANDITA CAYMMI disse...

ainda nao vi o filme mas cheguei a ler o livro... e adorei. me apaixonei pelo ser humano incrível. domingo irei ao cine. rs.
vc sempre antenado , hein? bjinhos!

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia. Que maravilha, Junior. Que família belíssima.
Lindo o seu post, linda homenagem. Que bom, vou procurar ver quando passar onde moro.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja uma boa semana para você.
Saudações Educacionais !

Guilherme Ramos disse...

Eu fui. E fiquei CONTENTE com o que vi.
Artisticamente,
Plasticamente,
Textualmente,
Espiritualmente.
Enfim, um filme para se ter na DVDteca.

Valeu, Jr.! Excelente post! Vc é um crítico e tanto, mano velho! Já pensou em escrever para a Gazeta de Alagoas (e dar um tom mais impacial a algumas matérias? Rssss...)

ABRAÇÃO!

Gui.
(Ah! Tem posts novos no prosopoética...)

Postar um comentário

Algumas dicas para comentaristas:

1. Use sempre o login da sua conta/ e-mail do Google ou Yahoo. Para os que não as tem, opinhem usando "Nome / URL"! É só digitar seu nome, assim todos saberão quem escreveu (inclusive eu!)

2.Se você possui um blog seu comentário será uma ferramenta de divulgação, pois representa o seu cartão de visita para os que não lhe conhecem. Pense nisso.

3.O espaço aqui é bem democrático, fique a vontade pra falar o que pensa e obrigado pela visita!

 

Copyright © - Contatos Imediatos - Todos os direitos reservados.
Template Minima de Douglas Bowman - Design por Linketal.com